Como provocar os gestores para a importância dos planos de resíduos

A implementação de um sistema planejado traz uma série de benefícios em diversas áreas como econômicas, sociais, ambientais e políticos para o município. Mas como provocar os gestores para a importância dos planos de resíduos sólidos mesmo em momentos de crise em que o Estado tem pouco ou até nenhuma capacidade de investimento?

A Política Nacional de Resíduos Sólidos considera os Planos de Resíduos como sendo importantes instrumento para sua implementação de fato, além de ajudar na organização e viabilização do setor. A Lei 12.305/2010 determina que até 2012, todos os municípios brasileiros tivessem seus devidos Planos com o seu respectivo demonstrativo das ações a serem praticadas e que deveriam ser implementadas até 2014. Desde então, apesar de ter tido sucesso, muitos municípios ainda não implementaram as ações e outros até nem mesmo fizeram o seu planejamento.

A atual situação no Brasil

Segundo a ABRELPE (Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais) em 2016 foram coletadas 91% dos resíduos produzidos no Brasil, o que significa uma quantidade de 71,3 milhões de toneladas. Deste montante, 41,7 milhões de toneladas foram enviadas aos aterros sanitários. Os outros 29,7 milhões de toneladas restantes, foram destinados a lixões à céu aberto, presentes em 3.331 municípios brasileiros.

A população brasileira vem crescendo nas últimas décadas e em 2016 o país tinha 207,7 milhões de pessoas conforme dados do Banco Mundial. Como a produção de resíduos é proporcional ao crescimento da população, a tendência é de aumento na quantidade de resíduos e com isso, aumento da demanda por soluções práticas para o setor.

Somente 3% das riquezas dos resíduos foram aproveitadas no Brasil em 2016

Em países como a Alemanha, onde são reciclados cerca de 65% dos resíduos em 2016, o mercado garantiu uma movimentação financeira de mais de 40 bilhões de euros. O mercado de resíduos alemão empregou quase 200.000 em 2016, com forte tendência de crescimento de oportunidades neste setor.

O curso de Elaboração de Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos do Portal Resíduos Sólidos é hoje o melhor curso do mercado voltado para este setor, criando oportunidade imediata para consultores qualificadosIsso se dá devido ao fato de existir no país uma massa crítica de pessoas qualificadas que conseguem perceber os resíduos sólidos, o popular lixo, como sendo uma fonte muitíssimo importante de matéria prima, que transformada em negócios se torna não somente uma fonte de renda, mas uma fonte de riqueza.

Mas como aproveitar o mercado de fato? O segredo do sucesso está, em primeiro lugar na qualificação da mão de obra fazendo com não somente que os profissionais atuais descubram o mercado, mas também consigam inspirar novos investidores para o setor. Em segundo lugar está a regulamentação do setor, de uma forma tal que transforme os desafios em oportunidades de negócio.

Hangout ao vivo com profissionais da área

O Portal Resíduos Sólidos se consolida com um forte instrumento de qualificação, treinamento, e assume a liderança na luta pela conquista dos benefícios Sociais, Ambientais, Econômicos para toda a população.

No dia 28/09/2017 as 17hs de Brasília, o Portal através do seu Canal no Youtube promove um Hangout ao vivo com profissionais das áreas de empreendedorismo, serviços públicos, acadêmica e consultoria que será transmitido aqui abaixo:

Participe do WORKSHOP GRATUITO e entende de fato, como transformar lixo em dinheiro

Profissionais convidados:

Eraldo Oliveira – Presidente da AGACE (Associação dos Gestores Ambientais do Estado do Ceará), ex-presidente da Autarquia Municipal de Meio Ambiente de Juazeiro do Norte-CE

Rodrigo Lopes – Empreendedor na Área de Sustentabilidade e Meio Ambiente. Consultor e Docente em temas ligados ao Gerenciamento de Resíduos Sólidos Urbanos.

Leonardo Palmeiras – Diretor comercial do grupo CP Ambiental e Engenharia trabalho na construção de projetos de impacto ambiental de grandes grupos frigoríficos com iniciativas na implementação de projetos com Usinas de Biogás e Aterro Sanitário.

Profa. Paula Fernanda Viegas Pinheiro – Possui graduação em Engenharia Ambiental pela Universidade do Estado do Pará (2006) e mestrado em Geografia pela Universidade Federal do Pará (2010). Doutoranda no Programa de Pós Graduação em Biodiversidade e Biotecnologia – Rede BIONORTE. Atualmente é Docente na Universidade Federal Rural da Amazônia e Coordenadora do Programa de Iniciação Científica (PIBIC) da UFRA. Tem experiência em análises espaciais e gestão de Unidades de Conservação. Avaliação de Impacto Ambiental e Análise de Riscos Ambientais. Já elaborou diversos Planos de Gerenciamento de Resíduos Sólidos e Plano de Gestão Municipal de Resíduos Sólidos. Participa de grupos de pesquisas sobre resíduos sólidos eletrônicos e aproveitamento energético de resíduos. É Conselheira do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia – CREA/PA e Perito Ambiental Judicial.

Claudio Teixeira Paixão – Empresário do setor de reciclagem de resíduos da construção civil e graduando em Engenharia Ambiental pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES).

Alex Cardoso – Catador de materiais recicláveis, membro da cooperativa ASCAT e da Central de Cooperativas de Porto Alegre e Região Metropolitana – Rede Catapoa, Agente de Gestão de Resíduos pelo Instituto Federal de Natal. Atua como coordenador de equipe técnica pelo estado do Rio Grande do Sul na logística reversa, compõe a equipe de articulação nacional do Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis. É uma referência nacional e internacional na organização de catadoras e catadores e na gestão de resíduos sólidos, conhecedor das leis de resíduos, articulou e participou de muitos eventos em vários países, entre eles, França, Suíça,EUA, África do Sul, índia entre outros.

Leve o conhecimento até a sua cidade e compartilhe essa idéia. Baixe a foto deste evento para o seu computador e e compartilhe nas redes sociais, grupos de whatsapp e outros, junto com o link deste artigo. Contamos com o seu apoio nessa luta pela sustentabilidade.

Fontes:

Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil 2016 – ABRELPE – Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais

Abfallwirtschaft in Deutschland 2016 –   Bundesministerium für Umwelt, Naturschutz, Bau und Reaktorsicherheit (BMUB)

Gostou? Clique no botão G+ e compartilhe nas redes sociais para indicar que deseja mais conteúdo relacionado com este tema.

About Gleysson B. Machado

Sou formado em Dip. Ing. Verfahrenstechnik (Eng. Química) pela Universidade de Ciências Aplicadas de Frankfurt/M na Alemanha com especialização e experiência em Tecnologias para geração de Energia e Engenharia Ambiental. Larga experiência em Resíduos Sólidos com foco em Biodigestores Anaeróbios

Deixe seu comentário