Gerenciamento de Resíduos de um Hotel

O Gerenciamento de Resíduos de um Hotel deve considerar o impacto de seus resíduos na região onde está. Na maior parte das vezes estamos nos referindo a resíduos compostos por embalagens, orgânicos, restos de varrição, poda de galhos, grama, entulhos de reformas, metais e muitos outros.

A cidade de Santos, possuindo 271 km2 de área, com uma população estimada em 420.000 habitantes, podendo chegar em 1.500.000 na época de temporada, é a cidade que possui a sexta colocação de IDH (índice de desenvolvimento humano), dentre os municípios brasileiros e tem o maior porto da América Latina.

Em conformidade com a Política Nacional de Resíduos  Sólidos, cria sua legislação, visando dar uma ordenação adequada à coleta, transporte e destinação final dos resíduos, tendo como meta a redução da produção de resíduos e sua destinação ambientalmente correta.

A cidade de Santos-SP possui Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos desde 2012, porém, ainda não conseguiu implementar seu plano de maneira eficiente.

A elaboração desse Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos, visa atender a Legislação Municipal, de acordo com a Lei 952/16 e o Decreto 7800/17, estando de acordo com a Política Nacional de Gerenciamento de Resíduos, Lei 12.305/10 e do Decreto 7404/10.

É importante ressaltar que, segundo a legislação Municipal, para que a empresa seja obrigada a apresentar um PGRS, ela tem que ser considerada como grande geradora comercial de resíduos sólidos e, por isso, produzir 200 litros ou 120 quilos por dia de resíduos.

O PGRS para um Hotel no centro da cidade, que é considerado de alta rotatividade, e por isso possui características na produção de resíduos diferentes de um hotel de turismo. Neste trabalho, diagnostiquei e identifiquei os resíduos, verificando o seu acondicionamento e sua destinação, em seguida aplicarei ações corretivas para depois contratar empresas de reciclagem cadastradas pela Prefeitura e dar a correta destinação final dos resíduos sólidos.

Foram estabelecidos os seguintes objetivos na elaboração desse PGRS:

  1. Gerenciar e segregar os resíduos gerados pelo Hotel e acondicioná-los de forma adequada até sua captação e destinação final.
  2. Reduzir a formação do resíduos e encaminhar à empresas recicladoras e de catadores visando a geração de empregos e renda.
  3. Educar e conscientizar os funcionários do hotel, da importância de fazer a segregação e acondicionamento adequado dos resíduos, através de uma educação ambiental correta e simples.
  4. Reduzir o valor do IPTU, com a exclusão da taxa de remoção de resíduos, que hoje é de R$ 1.426,64 por ano.

Gravimetria dos Resíduos de um Hotel em Santos

Conforme a Gravimetria feita nos resíduos do Hotel, foram encontrados os seguintes resultados:

  • Resíduos orgânicos: Responsáveis por 24,8 % de todo resíduo gerado no hotel;
  • Resíduos inertes: Responsáveis por 15,0 % de todo resíduo gerado no hotel;
  • Resíduos: Papel, papelão, plástico, latas de alumínio: geram aproximadamente 35% dos resíduos totais do hotel;
  • Embalagens de Metais (aço): responsável por 5,4%;
  • Óleo Vegetal: representam 8,3% dos resíduos gerados;
  • Lâmpadas fluorescentes e pilhas: A Lei nº 12.305, de 2 de agosto de 2010, institui que os fabricantes, importadores, distribuidores de lâmpadas fluorescentes são obrigados a estruturar e implantar sistemas de logística reversa após o uso pelo consumidor.

Após feita a análise do diagnóstico, foram sugeridas as seguintes ações corretivas:

  1.   Sanitários: Colocação de cartazes de aviso junto aos vasos informando sobre a proibição de jogar preservativos e mantendo sempre a lixeira em local visível e de fácil acesso.
  2. Suítes e corredores, colocação de lixeiras de coleta múltipla de resíduos, visando a segregação no local de origem.
  3. Coleta: acondicionar os resíduos em sacos plásticos preto e fazer a remoção até os coletores localizados no depósito.
  4. Cozinha: Colocação do óleo vegetal usado em embalagem de plástico rígido na cor azul para que seja retornada após o descarte do óleo na empresa coletora.
  5. Depósito: Instalação de extintores de água e PQS e aviso de proibido fumar naquele local, bem como estabelecer o controle de pragas.
  6. Caso venha algum resíduo misturado, o  funcionário separa por classificação e acondiciona em contêineres conforme a norma doConama.

A geração dos resíduos classificados, segundo a NBR 10.004 e, seguindo a Resolução do Conama nº 313/02, terão várias destinações finais, tanto no âmbito de reciclagem, como Logística Reversa e por fim o aterro sanitário.

Participe do WORKSHOP GRATUITO e entende de fato, como transformar lixo em dinheiro

A educação ambiental é um fator imprescindível ao gerenciamento adequado e sustentável dos resíduos. Ela deve ser utilizada como instrumento para a reflexão das pessoas no processo de mudança de atitudes em relação ao correto descarte dos resíduos e à valorização do meio Ambiente.

O curso de Elaboração de Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos do Portal Resíduos Sólidos é hoje o melhor curso do mercado voltado para este setor, criando oportunidade imediata para consultores qualificados

A educação ambiental aplicada à gestão de resíduos, portanto, deve tratar da mudança de atitudes, de forma qualitativa e continuada, mediante um processo educacional crítico, conscientizador e contextualizado.

O desafio de todo PGRS é sempre de: Cumprir a Legislação estabelecida pela PNRS; fazer com que o empresário tenha o entendimento da necessidade de  ter um plano onde ele terá controle sobre a redução da geração dos resíduos,  a forma adequada de coleta, classificá-los da maneira certa e acondiocioná-los de forma que não venha gerar nenhum risco ambiental, com a possibilidade de gerar recursos, nesse caso com a isenção da taxa do IPTU sobre a coleta de lixo.

Como profissional qualificado para a elaboração de PGRS, creio sempre que, o plano ideal é aquele que não seja encaminhado nenhum resíduo ao aterro sanitário, ou seja, conseguir fazer com que 100% dos resíduos sejam reaproveitados, quer para reciclagem, quer para geração de energia.

Nesse PGRS, conseguimos reduzir em 85% a quantidade de resíduos que tinham como destinação final o aterro sanitário.

RESOLUÇÃO CONAMA nº 275/2001 Estabelece o código de cores para os diferentes tipos de
resíduos, a ser adotado na identificação de coletores e transportadores, bem como nas campanhas informativas
para a coleta seletiva.

Foi possível estabelecer soluções que não interferiram na logística da empresa, que melhoraram a segurança e o risco para seus funcionários e que adequaram à empresa, a legislação vigente, além de gerar economia para o proprietário, empregos e renda para a comunidade.

Todas essas ações irão sempre depender de uma educação ambiental coesa com a dinâmica da empresa, voltada à necessidade da reciclagem e obediência ao PGRS.

Veja a apresentacao do trabalho feita pelo próprio aluno no vídeo abaixo:

Afinal o que buscamos sempre é ter um ambiente sustentável, limpo e organizado.

Gostou? Clique no botão G+ e compartilhe nas redes sociais para indicar que deseja mais conteúdo relacionado com este tema.

About Gleysson B. Machado

Sou formado em Dip. Ing. Verfahrenstechnik (Eng. Química) pela Universidade de Ciências Aplicadas de Frankfurt/M na Alemanha com especialização e experiência em Tecnologias para geração de Energia e Engenharia Ambiental. Larga experiência em Resíduos Sólidos com foco em Biodigestores Anaeróbios

Deixe seu comentário