Reciclagem de Vidro

Reciclagem de Vidro

Não se sabe ao certo a data exata do surgimento do vidro, mas sua revelação é atribuída aos fenícios que, casualmente, o descobriram há cerca de quatro mil anos quando faziam fogueiras na praia. O que se sabe com certeza é que sírios, fenícios e babilônios já utilizavam o vidro desde 7.000 a.C., mas foi no Egito antigo, por volta do ano 1.500 a.C., que o uso do vidro começou a crescer, sendo utilizado primeiramente em adornos pessoais, jóias e embalagens para cosméticos. Por ser naquela época a civilização dominante, os egípcios acabaram difundindo o vidro e a sua técnica de fabricação para outros povos.

No Brasil, a primeira oficina foi construída no século XVII, em Pernambuco, por artesões, produzindo, inicialmente, janelas, copos e frascos mas, a partir do século XX, as fábricas de vidro brasileiras começaram a se automatizar e processar em escala industrial o que até então era feito de modo artesanal e individual.

Praia de Genipabu-RN Brasil

Praia de Genipabu-RN Brasil

Caracterização do Vidro

O vidro é um material obtido a partir da fusão de matérias-primas, principalmente minerais, resfriado até uma condição de rigidez, sem se cristalizar. O vidro é um material não – poroso comum, que resiste a temperaturas de até 150ºC sem deformar, por isso pode ser reutilizado várias vezes para a mesma finalidade. Por ter uma estrutura molecular amorfa, o vidro pode ser reciclado infinitas vezes sem perder qualidade nenhuma, bastando para isso ser devidamente separado em três cores, verde, branco e marrom. Neste processo, a coleta seletiva tem uma importância fundamental.

A composição do vidro pode variar de acordo com a sua aplicação, mas é basicamente sílica, óxido de cálcio e óxido de sódio; as composições individuais são muito variadas devido às pequenas alterações feitas para proporcionar propriedades específi cas (como índice de refração, cor, viscosidade, etc…).

A Figura abaixo mostra a composição do vidro sem cacos, ou seja, explorando apenas a matéria prima natural, e o vidro com cacos (de vidro pós-consumo), que é o ambientalmente mais correto.

Composição do Vidro. Fonte: Abividro, 2009

Composição do Vidro. Fonte: Abividro, 2009

Produção do Vidro

A fabricação do vidro começa quando as matérias primas são recebidas e estocadas em grandes silos. O material é então pesado em uma balança e transferido a um misturador automático. Essa mistura é levada ao forno, onde é fundida a uma temperatura de 1500ºC, transformando-se em vidro. Os fornos são constituídos de três partes, onde ocorrem a fusão, a refinação e a regeneração.

A mistura é enfornada na mesma velocidade em que o vidro está sendo moldado nas máquinas de fabricação, de forma que a quantidade de vidro no forno é sempre constante. As máquinas que produzem as embalagens de vidro são interligadas ao forno por um canal, que reduz a temperatura da massa de vidro para, aproximadamente, 900ºC, ou seja a temperatura desejada para a formação de gota de vidro.

O acréscimo de outros materiais e diferentes técnicas de produção permitem criar tipos específicos de vidro, com características diferenciadas, adequadas a cada necessidade de aplicação. Assim, pela adição de produtos e variação nos processos de produção, se determina a forma, espessura, cor, transparência, resistência mecânica entre muitas outras características passíveis de adequação do vidro, o que torna o vidro um dos mais versáteis materiais existentes.

Uma das características mais interessantes do vidro é a cor. Os vidros podem se apresentar desde incolores até em infinitas cores, variando ainda de uma leve tonalidade até a total opacidade.

O vidro é um material que possibilita a visualização do produto nele contido e ao mesmo tempo o protege contra radiações que o deterioram. Dependendo dos elementos que se introduzem na composição do vidro, este filtra a luz, deixando passar alguns raios de certos comprimentos de onda e retendo outros. Por essa razão são utilizadas garrafas âmbar para cerveja e verde para o vinho, uma vez que estas impedem a passagem de radiações ultravioleta, que afetariam a qualidade dos produtos.

As cores mais utilizadas e conhecidas são os vidros brancos, os âmbares e os verdes; o que os difere é a composição química, o grau de pureza dos ingredientes que se enfornam, incluindo as matérias primas, caco e, num grau menor, as condições em que o vidro é fundido.

As aplicações de vidros mais conhecidas e utilizadas são:

  • Vidros para embalagens: são aqueles utilizados em potes de alimentos, frascos e garrafas para bebidas, produtos farmacêuticos, higiene pessoal e múltiplas outras aplicações – a utilização do vidro para embalagens é uma das mais antigas e frequentes aplicações para o vidro. Por ordem de consumo, a maior utilização é a do setor de bebidas, principalmente de cervejas, seguida pela indústria de alimentos e, logo após, produtos não alimentícios, sobretudo farmacêuticos e cosméticos.
  • Vidros domésticos: são aqueles utilizados em utensílios como louças de mesa, copos, xícaras e objetos de decoração, como vasos.
  • Vidros planos: são aqueles vidros fabricados em chapas, consumidos principalmente pela construção civil, seguida pela indústria automobilística, depois na produção de espelhos e um pequeno percentual para múltiplas outras aplicações. Além dos vidros translúcidos, outro tipo de vidro plano, chamado impresso ou fantasia, atende, em menor quantidade, também, o mercado da construção civil. Outros setores recentemente aumentaram seu consumo de vidro plano, como a indústria moveleira e dos eletrodomésticos da linha branca (fogões, geladeiras, microondas etc…).
  • Vidros especiais: são vidros com composições e características especiais, adequados a necessidades muito específi cas de utilização, como na produção de cinescópios para monitores de televisão e computadores, bulbos de lâmpadas, garrafas térmicas, fi bras óticas, blocos oftálmicos, blocos isoladores e até tijolos de vidro.

A Figura abaixo ilustra o ciclo de produção do vidro.

Ciclo de Produção do Vidro. Fonte: Recicla Vidro, 2009

Ciclo de Produção do Vidro. Fonte: Recicla Vidro, 2009

Reciclagem de Vidro

O vidro das embalagens é um material totalmente reciclável, por isso quando se fala em reciclagem, principalmente na indústria vidreira, o assunto sempre teve um grande destaque, e ganhou forças nos últimos anos com os grandes investimentos feitos para promover e estimular o retorno da embalagem de vidro descartável como matéria-prima. O vidro pode ser reciclado várias vezes, pois é feito de minerais como areia, barrilha, calcário e feldspato. Ao se agregar o caco na etapa de fusão de vidro, diminui-se a retirada de matéria-prima da natureza.

Entende-se como reciclagem de vidro o processo industrial de derretimento de resíduos de vidro para a fabricação de novos produtos, na maior parte das vezes, embalagens. Vidros reciclados são misturados com matéria prima nova e em média as garrafas de vidro são compostas em cerca de 60% de vidro reciclado. Dependendo da cor, esse percentual ainda pode chegar a 90%. Dessa forma, resíduos de vidro são uma importante fonte de matéria prima para a fabricação de novas embalagens de vidro.

Em países como a Alemanha, a população aprende a importância da separação dos vidros de acordo com sua cor em campanhas de educação ambiental nas escolas, empresas e outros locais. Por todo o país existem mais de 300.000 pontos de coleta de vidro com alcance total de cerca de 97% dos domicílios existentes. Além da educação ambiental, existe também uma vantagem financeira para quem faz a separação dos vidros em sua fonte de geração. A prefeitura cobra uma taxa para a coleta do lixo misturado e não cobra nada para o lixo separado. Dessa forma, quanto mais separar o lixo, menos o cidadão residente no país precisará pagar pelo serviço de coleta. Olhando pelo lado empresarial, quanto melhor separado o lixo em sua fonte, maior valor agregado tem este e maior a lucratividade da empresa que reciclar este resíduo. Este principio se aplica também ao papel, plástico, lixo orgânico e muitos outros.

No vídeo abaixo você pode ver o exemplo de um container para a coleta seletiva de vidros na cidade de Frankfurt.

Contudo, este sistema é indicado para a reciclagem de vidros oriundos principalmente para a reciclagem de vidros de embalagens, como garrafas e alguns utensílios doméstico. Não devem ser misturados aos vidros os resíduos de cerâmica, porcelana, lâmpada, espelhos, para-brisas de veículos, vidros resistentes a temperatura usados em fogões, fornos, etc …

Assim como nos demais processos de reciclagem, o valor do material reciclado tem uma ligação direta com a pureza do mesmo, por isso, a separação inicial é confiada a coleta seletiva. Na prática porém, deve-se contar com a mistura dos vidros por parte da população. Sendo assim, a indústria de reciclagem deve contar com um processo de separação eficiente. Nas esteiras das usinas de triagem existem sensores que utilizam luz para identificar corpos estranhos. Através de um sistema de tiro de ar comprimido, esses corpos estranhos são então retirados do restante de forma muito eficiente, originando resíduos de vidro quase 100% puros.

Todos os anos na Alemanha são reciclados cerca de 2 milhões de toneladas de vidro. No ano de 2006 foram reciclados 83,6% de todas as embalagens de vidro no país e em média, cada cidadão levou 24 kg de resíduos de vidros aos pontos coletores.

A reciclagem do vidro, além de poupar uma boa parte dos recursos naturais, também consome menor quantidade de energia e emite menos material particulado que a fabricação do vidro sem a incorporação de cacos. Vale ressaltar que, com um quilo de vidro se faz outro quilo de vidro, com perda zero. Outros aspectos a considerar ao se reciclar o vidro é a menor geração e descarte de resíduos sólidos urbanos, a redução nos custos de coleta urbana e o aumento da vida útil dos aterros sanitários.

Vantagens ambientais

Para cada metro cúbico de vidro fabricado a partir de fontes primárias, é necessário extrair pelo menos 7 m³ de rocha. Além disso, vidro reciclado tem uma temperatura de fusão menor que a matéria prima utilizada na fabricação de vidro (Areia ou Sílica, Carbonato de Sódio, Pedra Calcária e Dolomita). Veja um pouco mais sobre a história e fabricação de vidro neste vídeo.

A economia de energia e recursos naturais alcançados com a reciclagem de vidro significam uma redução de até 300 kg de Gás Carbônico (CO2) por tonelada de vidro reciclado. A energia economizada com a fabricação de uma única garrafa de vidro com material reciclado poderia alimentar uma televisão a cores por 20 minutos ou uma máquina de lavar roupa por 10 minutos.

Passo a passo da reciclagem de vidro

  • Depois de coletado através do sistema de coleta seletiva e chegando na usina de reciclagem, os resíduos de vidro passam pelos seguintes processos:
  • Extração dos resíduos metálicos (tampas de garrafa, objetos estranhos, …)
  • Separação de partes grandes manualmente
  • Trituração dos resíduos até o tamanho de 15 mm
  • Filtragem
  • Sucção de objetos mais leves que vidro
  • Separação de resíduos opacos com o uso de sensores óticos (por exemplo cerâmica e porcelana)
  • Nova separação de partes metálicas através de magnetismo
  • Controle de qualidade
  • Derretimento do material para posterior fabricação de novos produtos

Veja como funciona neste vídeo (em alemão)

A reciclagem do vidro, apesar de ser considerada uma atividade economicamente viável e com grande potencial de lucratividade, ainda é pouco explorada no Brasil. A conscientização da população pela educação ambiental permitiria o reaproveitamento integral das embalagens de vidro, gerando enormes ganhos ambientais, econômicos e sociais.

Ainda, são necessários investimentos, tanto públicos como privados, no fomento ao desenvolvimento do mercado de reciclagem, na inovação e na pesquisa tecnológica, tanto para aumentar a viabilidade técnica e econômica das tecnologias existentes, quanto para criação de novas tecnologias, que permitam acompanhar e antever o surgimento de novos produtos e tecnologias pelos setores produtivos.

A melhor maneira de identificar o modelo de negócio ideal com viabilidade econômica é através da elaboração de um Plano de Negócios especifico por profissionais competentes. O Portal Resíduos Sólidos oferece esse serviço para os mais diversos negócios do setor de resíduos. Para saber mais, entre em contato por email (portalresiduossolidos@gmail.com).

Conheça mais tecnologias de reciclagem clicando em uma das figuras abaixo:

Fonte: Cadernos de Educação Ambiental – Resíduos Sólidos – Governo do Estado de São Paulo

Gostou do Tópico? Clique no botão +1 do google logo abaixo

2 Responses to Reciclagem de Vidro

  1. Secretaria do Meio Ambiente de Andradina disse:

    Prezados
    Boa tarde…

    Vimos pelo presente solicitar informações sobre a coleta de vidros e para-brisa, quantidade minima e maxima, custo, etc…
    O municipio de Andradina possui cerca de 55.000 habitantes.
    Agradecidos

    Secretaria do Meio Ambiente de Andradina/SP

  2. marteleuza gonzaga disse:

    quero saber si tem alguma empressa que compra vidro de veiculo vidro temperado

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>