Obtenha Fundo perdido do BNDES para construir biodigestores na Amazônia

Obtenha Fundo perdido do BNDES para construir biodigestores na Amazônia aproveitando energeticamente os resíduos orgânicos do agronegócio da agricultura familiar ajudando centenas de pessoas.

A agricultura familiar tem o potencial de alavancar a produção alimentar em escala local e pode fazer frente a essas exigências de alimento para combater a fome e a miséria no mundo. Apesar disso, vive o desafio de chegar aos agricultores de maneira efetiva e combater o êxodo rural. O BNDES através do Fundo Amazônia lança uma ferramenta voltada a instituições que possam liderar um processo de desenvolvimento, beneficiando centenas ou milhares de pessoas, que pode ser liderada por associações, cooperativas, fundações de direito privado e empresas privadas da região amazônica.

Celebrando as matrizes africanas do Recôncavo no 5º Encontro de Consciência Negra do Iguape, com o tema “Sou Negro e Trago Livre Meus Sonhos”, na comunidade de Santiago do Iguape, em Cachoeira. (Foto: Portal A Ponte)

Segundo dados do Censo Agropecuário de 2006, 84,4% do total dos estabelecimentos agropecuários brasileiros pertencem a grupos familiares. São aproximadamente 4,4 milhões de estabelecimentos, sendo que a metade deles está na Região Nordeste.

De acordo com o estudo, ela constitui a base econômica de 90% dos municípios brasileiros com até 20 mil habitantes; responde por 35% do produto interno bruto nacional; e absorve 40% da população economicamente ativa do país. Ainda segundo o Censo, a agricultura familiar produz 87% da mandioca, 70% do feijão, 46% do milho, 38% do café, 34% do arroz e 21% do trigo do Brasil. Na pecuária, é responsável por 60% da produção de leite, além de 59% do rebanho suíno, 50% das aves e 30% dos bovinos do país. A agricultura familiar possui, portanto, importância econômica vinculada ao abastecimento do mercado interno e ao controle da inflação dos alimentos consumidos pelos brasileiros.

O mercado é gigante

O estímulo visa combater problemas estruturais da agricultura familiar. O Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) é hoje o principal linha de crédito oferecida pelo governo federal ao agricultor familiar. Além do Pronaf, que disponibiliza até R$ 40 mil por agricultor, existem outras formas de financiamento via governo federal: Microcrédito Rural; Pronaf Mulher, que atende às mulheres agricultoras; Pronaf Floresta nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, para lavouras que planejam desenvolver projetos de sistemas agroflorestais; e auxílio às cooperativas de produção com base na agricultura familiar. O MDA também disponibiliza aos agricultores familiares financiamentos para veículos utilitários e uma política de seguros, através do Seguro da Agricultura Familiar (Seaf) e do Programa de Garantia de Preços da Agricultura Familiar (PGPAF).

Alinhados com os programas de crédito rural do governo, o Banco do Brasil e a Nossa Caixa também oferecem financiamento através do Pronaf, com juros de 1% a 5% ao ano, dependendo da renda e da destinação do recurso, e prazo de pagamento de até 2 anos, além dos financiamentos rurais tradicionais, que oferecem juros de 6,75% ao ano e prazo de pagamento de até 5 anos.

Desafios do setor

Apesar de sua grandeza, o agricultor familiar têm sérios desafios. Um dos maiores problemas na metodologia atual de fomento é que muitas vezes não consegue chegar aos agricultores, que não têm acesso a telefone ou internet. Muitos desses agricultores nunca chegaram na porta de um banco. Então, nesse caso, o banco tem que chegar, a política tem que chegar ao agricultor.

Além disso, os agricultores precisam de assistência técnica local que valorize a experiência acumnulada por estes que tmabém precisam de apoio com mecanização mínima para reduzir o esforço, já que os agricultores que estão no campo estão envelhecendo, e precisam  fortalecer a união com as instituições de pesquisa e capacitação para trazer a tecnologia para dentro da comunidade.

De uma forma resumida podemos dizer que o pouco acesso dos agricultores às informações sobre políticas públicas e ao conhecimento gerado pelas instituições de pesquisa e universidades são problemas  destacados por diversos agricultores no Brasil.

Participe do WORKSHOP GRATUITO e entende de fato, como transformar lixo em dinheiro

Um exemplo disso são os instrumentos de apoio para a comercialização de produção da agricultura familiar, como  programas de Aquisição de Alimentos, de Merenda Escolar, de Compras Institucionais, e Política de Garantia de Preço Mínimo para Produtos da Sociobiodiversidade. “Esses são instrumentos para gerar renda e segurança alimentar e já existem desde 2003, mas são pouco conhecidos e apenas 10% dos agricultores do Amazonas conseguem acessar essas políticas públicas”, informou o assessor da superintendência da Conab, Thomas Silva, que apresentou informações sobre esses programas.

Como você pode fazer um projeto

O cenário atual é extremamente propício à pessoas que acreditam no potencial da região amazônica. Por um lado, temos aquilo que é essencial para as pessoas que querem fazer a diferença, os problemas. Sem problemas não há solução. Por outro lado, o Fundo Amazônia pode ser utilizado como um forte estímulo financeiro que não precisa ser reembolsado. Os problemas e soluções estão na mesa, só falta você.

Tudo sobre biodigestores em um curso completo no portal residuos solidosO grande segredo aqui é tornar o projeto sustentável, integrando a produção agrícola e pecuária com o aproveitamento mais eficiente da matéria disponível. Os resíduos podem ser aproveitados para a produção de energia descentralizada com uso de biodigestores usinas de biogás, potencializando o projeto para chegar nas regiões mais remotas da Amazônia.

Biodigestores são centrais que aceleram a decomposição da matéria orgânica, por exemplo os resíduos agrícolas e da pecuária, na ausência de oxigênio, produzindo o biogás que pode ser usado na geração de energia e biofertilizante de alta qualidade. O uso de biogás pode ajudar significativamente no combate ao desmatamento, evitando o uso de madeira para processamentos térmicos como por exemplo na fabricação de fécula de mandioca. Já o biofertilizante ajuda a ter maior produtividade nas terras, fazendo o produtor produzir maior quantidade em um área menor de terra.

Mais uma vez, o conhecimento é a chave para o sucesso. O profissional precisa saber dimensionar um projeto que integre a agricultura, pecuária e produção de energia através de biodigestores. Com o curso Plano de Negócio para Biodigestores, o aluno estará preparado a liderar o projeto e executar tudo o que for necessário, montando o modelo de negócio ideal para atingir os objetivos esperados na chamada pública do BNDES.

Toda a explicação em vídeo

Veja como fazer no vídeo abaixo:

As oportunidades surgem para quem está preparado para reconhecê-las. Se qualifique!

Fontes e Referências

  • O que é a agricultura familiar – Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA)
  • Os desafios da agricultura familiar – Labjor Unicamp
  • Agricultores e Instituições buscam alternativas para agricultura familiar no AM – EMBRAPA
Gostou? Clique no botão G+ e compartilhe nas redes sociais para indicar que deseja mais conteúdo relacionado com este tema.

About Gleysson B. Machado

Sou formado em Dip. Ing. Verfahrenstechnik (Eng. Química) pela Universidade de Ciências Aplicadas de Frankfurt/M na Alemanha com especialização e experiência em Tecnologias para geração de Energia e Engenharia Ambiental. Larga experiência em Resíduos Sólidos com foco em Biodigestores Anaeróbios

Deixe seu comentário